Comitê Gestor firma compromisso entre parceiros do Projeto Brasil Afroempreendedor

A instalação do Comitê Gestor do Projeto Brasil Afroempreendedor, no dia 22 de outubro, no SEBRAE Nacional, em Brasília (DF), foi um passo decisivo para a consolidação dessa que é uma das maiores iniciativas em curso de fortalecimento do afroempreededorismo no Brasil.

Durante a reunião, os representantes das entidades parceiras do projeto, Instituto Adolpho Bauer (IAB), CEABRA/SP, ANCEABRA e SEBRAE Nacional, lembraram o significado especial da instalação do Comitê, momento em que foi firmado o compromisso de representantes de várias entidades com o projeto. Participaram da reunião de instalação Adriana Barbosa, do Instituto Feira Preta, Sérgio Melo, reverendo da Igreja Azusa, João Maria, do Instituto Maria Comunicação, Cristiane Sobral, da Fundação Cultural Palmares, e Graça Santos, da Associação Nacional da Moda Afro-brasileira (Anamab), além dos representantes do IAB, CEABRA/SP e SEBRAE Nacional. Os representantes do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) e da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (SEPPIR/PR), justificaram a ausência. A Casa Civil da Presidência da República e a Coordenação Nacional das Comunidades Quilombolas (Conaq) ainda não definiram os nomes que integrarão o comitê.

Durante a instalação, as participantes lembraram que desde os anos 1990 tentam incorporar o tema do afroempreendedorismo na pauta dos movimentos negros do País. “O momento é de reconhecimento e de excelentes expectativas para o futuro”, afirmou o presidente da ANCEABRA, João Bosco Borba. A construção da Rede Nacional de Empreendedores Afro-brasileiros, a realização de 12 seminários estaduais e a pesquisa junto aos 1200 empresários afro-brasileiros que são o público alvo do projeto foram destaques feitos pelo presidente do CEABRA/SP, João Carlos Martins. E o representante do IAB, Luiz Antonio, lembrou a importância do envolvimento das entidades participantes para a consecução do projeto. Após, o coordenador institucional do projeto, Adilton de Paula, fez um balanço das ações do projeto até o momento, destacando as estratégias, os desafios políticos e os cenários favoráveis para o desenvolvimento das agendas no fortalecimento do afroempreendedorismo no Brasil.

Comitê Gestor

O Comitê Gestor do Projeto Brasil Afroempreendedor é uma instância consultiva que conta com a participação de entidades governamentais e da sociedade civil historicamente comprometidas com a questão da inclusão racial. No caso do projeto Brasil Afroempreendedor, com a inclusão racial a partir do empreendedorismo. Sua criação está prevista no projeto. Por isso, a instalação foi comemorada pelos presentes como mais uma etapa vencida. Durante a reunião, o coordenador executivo do Brasil Afroempreendedor, João Carlos Nogueira, lembrou que o processo de efetiva construção do projeto vem desde 2011, com a realização de 12 oficinas técnicas nos estados definidos para a execução, momento em que foram consolidadas a estratégia e o formato do Brasil Afroempreendedor, lançado oficialmente no dia 5 de agosto, em São Paulo. O Comitê é presidido pelos representantes do Instituto Adolfo Bauer (IAB) e do Coletivo de Empresários e Empreendedores Afro-brasileiros de São Paulo (CEABRA/SP), com a coordenação do consultor técnico nacional do projeto. A participação efetiva dos integrantes do Comitê será fundamental para a realização dos objetivos do projeto e se pautará pelos seguintes objetivos: compartilhamento e aperfeiçoamento da gestão do projeto; ampliação e fortalecimento da Rede Nacional de Empreendedores Negros e Negras; criação do Prêmio “Brasil Afroempreendedor”, previsto no projeto; participação nos Grupos de Trabalho; contribuição para a realização dos seminários estaduais.

Como principais encaminhamentos, foram criados grupos de trabalho (GTs) para a execução do projeto e definiu-se que serão elaborados instrumentos virtuais para a comunicação entre os participantes, para o seu funcionamento e o dos grupos de trabalho, a partir da constituição de redes on-line. Ficou definida a criação dos GTs Rede Brasil Afroempreendedor, Metodologias do Afroempreendedorismo, Fundo Brasil Afroempreendedor, Economia Criativa e Comunicação Social (Afroempreendedorismo, Eu Apoio Essa Ideia!). As reuniões do Comitê são trimestrais, e acontecem em Curitiba, São Paulo e em Brasília.

Compartilhe!

Deixe o seu comentário, queremos ouvir você