Projeto Brasil Afroempreendedor mobiliza público gaúcho

“O projeto Brasil Afroempreendedor é uma iniciativa revolucionária”, afirmou o deputado estadual Adão Villaverde (PT/RS), durante a primeira manhã do seminário estadual, nesta quinta, no auditório dos Correios, região central de Porto Alegre. “É a organização social e as relações de trabalho e de produção que determinam o nível de consciência dos empreendedores negros e negras, já que mexe com a estrutura do sistema. Ao enfatizar, em sua organização, a solidariedade, a cooperação e o trabalho em rede, o empreendedorismo negro mexe com as raízes desse sistema, visando à sua transformação.” Este foi o tom das falas na mesa de abertura, que marcou o compromisso com o projeto das representações de órgãos municipais e estaduais gaúchos e dos empreendedores presentes ao encontro.

A representante da Comissão de Direitos Humanos na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, Ivonete Carvalho, ressaltou a busca da identidade de matriz africana pelos empreendedores negros e negras, a despeito de todas as dificuldades interpostas pela organização social excludente. “A construção da rede, no Rio Grande do Sul, significa mapear os quilombos e as iniciativas de todo o estado para identificar as potencialidades que temos”, afirmou. Concretamente, o representante da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Aquicultura do governo do estado, Joel Souza dos Santos, prestou informações sobre programas de governo que direcionam R$ 4 milhões de financiamento para comunidades quilombolas, com 100% de subsídio. “Essa é uma das maiores dificuldades, a obtenção de financiamento, e o governo do estado tem se dedicado a isso”, afirmou.

Outro aspecto destacado foi a necessidade de compromisso com o projeto pelos participantes. Coube ao diretor do Instituto Adolpho Bauer (IAB), Luiz Antonio de Almeida, destacar o fato de que o projeto depende fundamentalmente do empenho de todos os empreendedores que se habilitarem à participação nos seminários e no projeto.

Também integraram a mesa de abertura o gerente regional de Educação Corporativo e coordenador de Programa para a Equidade dos Correios no estado, Homero Cruz da Silva, a representante da Codene, Marisa da Silva, a diretora estadual de Direitos Humanos do governo do estado, Eliene Amorim, a secretária adjunta da Secretaria Municipal de Políticas para o Povo Negro de Porto Alegre, Elisete Moretto, a gerente de Políticas Públicas do SEBRAE/RS, Cláudia Cittolin, e o representante do SEBRAE Nacional, Antonio Carlos Thobias Junior.

Pela manhã, houve a apresentação do projeto Brasil Afroempreendedor aos participantes pelos coordenadores institucional, Adilton de Paula, e executivo, João Carlos Nogueira, e a apresentação da representante do SEBRAE/RS, Cláudia Cittolin, que destacou dados sobre a pesquisa nacional da entidade sobre o empreendedorismo com base na raça/cor. Ao final, os empreendedores tiraram algumas dúvidas sobre o projeto, ressaltando as dificuldades para empreender, pela falta de formação para ser dono dos negócios, e não empregados.

À tarde, o seminário estadual continua com maior detalhamento do projeto aos empreendedores, palestra temática com orientações para a elaboração de Plano de Negócios,

Construção de Cenários de sucesso e Análise de Mercado, além dos relatos de casos de sucesso por empreendedores.

Compartilhe!

Deixe o seu comentário, queremos ouvir você