Seminário reúne empreendedores e parceiros no Paraná

O seminário preparatório ao seminário estadual do Paraná permitiu que os empreendedores negros e negras do estado tivessem o primeiro contato com o projeto Brasil Afroempreendedor e as possibilidades de fortalecimento de seus negócios. Em função do pequeno número de empreendedores inscritos, a coordenação do projeto optou por uma formatação diferente, com apresentação do projeto aos participantes, contato com apoiadores do projeto e com informações sobre possibilidades de fomento e financiamento, além das primeiras indicações sobre a construção da Rede Nacional de Afroempreendedores.

Participaram da abertura Adilton de Paula, coordenador do Instituto Adolpho Bauer (IAB), uma das entidades executoras do projeto, Adilson Stuzata, superintendente da Secretaria do Trabalho do estado, Jorge Bernardi, vereador, Mestre Pop, vereador, Saul Dorval da Silva, presidente do Conselho Municipal de Políticas Etnicorraciais de Curitiba (COMPER) e Rogério Rodrigues, representante da Fundação Cultural Palmares. Pela manhã, além da abertura, houve palestra do consultor do SEBRAE/PR, João Carlos de Andrade, que enumerou alguns números que mostram a força do empreendedorismo no Brasil e no Paraná.

Segundo Andrade, 99,2% do total das empresas paranaenses são micro e pequenas empresas (MPEs), contra 99% no Brasil. Essas empresas empregam 58,5% do total empregado pelas empresas no estado, com aumento das taxas de negros empreendedores, principalmente na faixa entre 35 e 64 anos. Os microempreendedores individuais atuam principalmente na área da beleza e da construção civil, dados que também se refletem entre empreendedores afro-brasileiros. O consultor destacou o fato de que, apesar da inclusão que provocou o crescimento do número de empreendedores negros e negras, persiste a diferença com relação aos empreendedores brancos, que têm mais anos de estudo e maior renda.

Os dados apresentados pelo consultor do SEBRAE/PR legitimam o argumento em favor da inclusão a partir do fortalecimento dos empreendedores afro-brasileiros. Este foi o tema principal da apresentação do projeto aos empreendedores feita pelo coordenador institucional Adilton de Paula, durante a tarde. “Quando participamos de um projeto como esse, abrimos portas para nossos projetos e negócios”, disse o coordenador, ao mostrar as possibilidades que o projeto coloca ao alcance dos empreendedores. Em seguida, falou sobre os compromissos dos participantes com o projeto, na forma de realização de cursos do SEBRAE, curso de História Africana, desenvolvimento de planos de negócios e assinatura de um Termo de Compromisso em que os empreendedores e o projeto se comprometem a realizar as atividades.

Após a apresentação, os empreendedores ouviram a palestra da representante da Caixa Econômica Federal (CEF), Jorge Benito, cujo tema foi Microcrédito Produtivo Orientado. O representante da Caixa falou sobre as possibilidades de financiamento da instituição, com condições facilitadas para o desenvolvimento dos negócios, para capital de giro ou investimento de empreendedores formais ou informais com faturamento anual de até R$ 120 mil. O financiamento é feito através da empresa CRESCER, que integra o conglomerado Caixa. Ao final, foram explicados os próximos passos para a relação entre os empreendedores e o projeto.

O seminário estadual do projeto acontecerá em data ainda a ser marcada. Em princípio, acontecerá em agosto. A atividade desta quinta serviu como uma primeira aproximação dos empreendedores, apoiadores, parceiros e o projeto.

Paraíba

O seminário preparatório da Paraíba acontece na próxima terça, 3, em João Pessoa. O seminário estadual também acontecerá em agosto, em data a ser marcada. As inscrições estão abertas, e devem ser feitas no aqui no site do Instituto Adolpho Bauer.

Compartilhe!

Deixe o seu comentário, queremos ouvir você